Ideias e liberdade


    O PT e seu mais recente plano anti-conservador

    Compartilhe
    avatar
    Conhyrad

    Mensagens : 40
    Data de inscrição : 29/10/2013
    Localização : Rio de Janeiro

    O PT e seu mais recente plano anti-conservador

    Mensagem por Conhyrad em Qui Dez 26, 2013 2:54 am

    Esses dias eu estive conversando com o nosso colega Jzaiden, e ele compartilhou o link de uma intrigante notícia:
    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,universidade-do-governo-tera-aulas-de-marxismo-,1111219,0.htm

    Sinto a alarmante necessidade de escrever um artigo para debatermos esse plano governamental. Como diria Jack, o Estripador,  vamos por partes:

    "O governo federal vai fundar [...] a Universidade do Trabalhador [...] que oferecerá cursos de qualificação profissional tendo como principal meta a "politização" dos trabalhadores. As aulas incluem 'marxismo, socialismo e capitalismo'..."

    Espere um momento; o PT e seus aliados querem criar um centro de doutrinação esquerdista para "ensinar" política á massa? Tenho certeza que está bem claro o que estão fazendo: Usando dinheiro público para recrutar idiotas úteis militantes para o Partidão. Infelizmente (Ou felizmente, já que se fosse novo poderia ser mais "difícil" de se "detectar"), aqui no Brasil (e também no mundo, de certa forma), isso não é nada de novo.
    Desde os tempos da ditadura, a esquerda vem dominando a esfera intelecto-cultural do país, e, desde os anos 80, o corpo docente das universidades é majoritariamente de esquerda, principalmente comunista (Existe esquerdista não-comunista? Tratarei desse assunto numa outra hora). Desde os anos 90, com o início da educação sócio-construtivista de Paulo Freire no Brasil, e as políticas "educacionais" do MEC, as crianças e adolescentes brasileiros estão sendo doutrinados de forma sutil , até recentemente, porque já existem livros de história/geografia aprovados pelo MEC que tem praticamente como único objetivo condenar o capitalismo e exaltar o social-comunismo da Cuba de Fidel Castro, assim como Che Guevara. Agora, eles querem criar essa Universidade do Trabalhador, para "qualificar", "educar", e "politizar" o trabalhador de acordo com a ideologia do partido no poder. Eles estão, com o glorioso objetivo de "educar", alcançando todos os grupos, as crianças e adolescentes, que crescem sob essa influência, e quando chegam nas universidades continuam sob essa influência. E agora, os que não conseguiram ingressar em universidades para se tornarem "politizados", agora irão para a Universidade do Trabalhador, onde terão a mesma, ou até maior e mais esdrúxula, doutrinação que seus compatriotas universitários.
    É também evidente que a revolução (desde os tempos de Gramsci e demais intelectuais de esquerda da segunda metade do século XX) não mais ocorreria de baixo para cima, nem exclusivamente de cima para baixo, mas a elite intelectual e cultural, ao longo do tempo, influenciaria as camadas "de baixo" a se rebelarem, a revolucionarem, a serem os idiotas úteis (assim como eles, mas eles não percebem) do partidão, como vem ocorrendo no Brasil, o país-paraíso de Antonio Gramsci.  É notável que a revolução cultural começou nas universidades, e foi se massificando, assim como tudo que é "novo", indo para as escolas, e agora para os trabalhadores sem muita formação.

    "...'Estamos vivendo um período de despolitização geral no Brasil, em todas as áreas, Os trabalhadores são peça fundamental na discussão política. Eles são os agentes que constroem com seu esforço, com seu trabalho...'"
    "A ideia, porém, é aumenta exponencialmente o atendimento na nova plataforma online de ensino, que terá capacidade técnica de atender simultaneamente até 250 mil pessoas e cerca de 1 milhão de trabalhadores por dia. "Vai ser um negócio grandioso", diz o ministro do Trabalho."
    "Discute-se, até mesmo, uma internacionalização do programa, que poderia ser acessado em países do Mercosul, como Argentina, Uruguai e Venezuela."


    Então, basicamente, resumindo: O PT quer criar (já criou, na verdade) uma instituição de educação em massa ao trabalhador que vai "ensinar" as desgraças do capitalismo e as virtudes do socialismo, visando a "politização" dos trabalhadores e "melhoria" da democracia. Coloquei "melhoria" entre aspas pois tudo será "ensinado" com um viés esquerdista pelos professores, que tentarão ao máximo levar os trabalhadores-alunos para seu lado do espectro político, o que poderia, ao longo prazo, fazer com que a maioria apoiasse ideologicamente o socialismo, e prejudicando a diversidade de ideias.  Além disso, o PT quer, futuramente, caso funcione no Brasil, exportar isso para os outros países cujo presidente participa do Foro de São Paulo. Vamos ao próximo ponto e eu concluirei esses meus pensamentos:

    "... papel de "intermediadora" na relação entre os trabalhadores e as empresas."
    "Cursos sem partido"
    "O trabalhador precisa entender o impacto do que ele está fazendo na sociedade."


    Eu mencionei acima que o PT quer apoio ideológico dos futuros trabalhadores-alunos dessa Universidade, mas há um problema: a grande massa brasileira é maciçamente cristã e conservadora, e abomina coisas como o aborto., e isso é um empecilho á cúpula petista. Eles viram isso de forma evidente nos protestos que ocorreram em junho deste ano, e viram que eles eram "uma cabeça sem corpo"*, já que não tinham apoio da massa, e a massa, por sua vez, era "um corpo sem cabeça"*. Usando os meios educacionais para doutrinação da massa, ela, depois de um tempo, não mais seria majoritariamente conservadora cristão, mas passaria a ser socialista e pró-revolução. Por meio dessa doutrinação, ao longo do tempo, e em algumas poucas gerações, eles teriam um apoio ideológico consistente da massa.

    Aparentemente, outro objetivo que a turma petista quer é criar mais tensão em uma das "brigas"** que socialistas e comunistas amam enfatizar, incentivar e enaltecer: o conflito entre empregados e empregadores. "Ensinando" as ideologias de esquerda, e a famosa luta de classes aos trabalhadores, muitos deles passarão a ser radicais e paranóicos, vendo opressão e luta de classes em todos os lugares, causando uma desestabilização digna do método de subversão soviética, além de, é claro, criar uma boa base socialista que apoiaria o governo, ou outros igualmente esquerdistas, ideologicamente.

    Eles confessam que os cursos não apoiarão oficialmente partidos, mas há dois fatores que põem isso abaixo: O primeiro é que quase todos os partidos políticos brasileiros são de esquerda; E segundo que ao serem "ensinados" tendenciosamente sobre capitalismo e socialismo, eles verão no PT, PSOL, PSB e demais partidos esquerdistas aquilo que o professorzinho da Universidade lhes disse e "ensinou", passando, provavelmente e na maior parte dos casos, a apoiar tal partido, por acreditar que o mesmo seja o "defensor das causas políticas do trabalhador brasileiro".

    Toda essa história e todo esse plano tem tudo pra dar certo, caso a população não desaprove maciçamente e condene tal tentativa de doutrinação da massa brasileira. Caso isso não aconteça (e as probabilidades são altíssimas), e o plano todo der certo, a cúpula petista e seus aliados exportarão tão engenhoso esquema para os países vizinhos cujos líderes integram o Foro de São Paulo. Na eventualidade do plano não der completamente certo, eles corrigirão tais erros que teriam ocorrido, e o aplicariam novamente, em uma outra oportunidade, ou o descartariam totalmente.
    O movimento revolucionário comunista não trabalha só com um lado; ele trabalha simultaneamente em diversos ângulos, ás vezes contraditórios, e que muitas vezes não fazem sentido lógico, mas dentre diversos planos, ao menos um daria certo, e isso seria contado como uma graciosa vitória da esquerda. Enquanto eles estão colocando tal plano em prática, estão confeccionando diversos outros e também pondo diferentes programas em prática, além desse.

    "Ele conta que conhece um recrutador que faz testes de ditado com candidatos a vagas para profissionais com curso superior completo porque sempre tem os que são reprovados nessa fase."

    Me ajudem a entender essa parte do último parágrafo: Ele conhece um homem que realiza testes de ditado para candidatos com diploma de curso superior a vagas de trabalho?
    ...
    E eles são reprovados, algumas vezes?
    Aí está mais uma prova de analfabetos diplomados  e da ineficiência da educação neste nosso país...
    Alguns podem argumentar que errar é humano, e todo mundo erra uma palavrinha do português de vez em quando. Eu concordo,  mas pra ser reprovado em um teste desses é preciso muito mais que um ou dois errinhos gramaticais "comuns", isso é ganhar atestado de desconhecedor de sua língua nativa.



    Não me entendam mal, eu apóio os trabalhadores terem lugares para se tornarem mais capacitados, mas esses espaços não seriam lugares com foco na "politização" (vulgo doutrinação), já que quem se interessa por política irá procurar saber mais sobre ela e se politizar, sem precisar de ser politizado por outras pessoas, e nem locais com cursos longos, que não visam diretamente a profissionalização das pessoas,  mas sim lugares como escolas técnicas, cursos de especialização e profissionalizantes.


    --x--
    * -> Termos tirados de uma análise feita por Olavo de Carvalho
    ** -> Como por exemplo: Homens x mulheres; Heterossexuais x Homossexuais; Negros x Brancos;

      Data/hora atual: Sab Jan 20, 2018 11:51 am